Exibição seguida de Debate do filme “Pequena Miss Sunshine”

28/06/2013 08:00

 

O Projeto Cinema Mundo exibe na quinta-feira, 04 de julho, Pequena Miss Sunshine (Little Miss Sunshine, 2006) , filme do casal de diretores estadunidenses Jonathan Dayton e Valerie Faris.  A sessão acontecerá às 18h30, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC. A debatedora desta ocasião será  Tânia Regina Oliveira Ramos, doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e integrante da Coordenação Geral da Revista de Estudos Feministas. Tânia  é professora de Literatura Brasileira no Curso de Letras da UFSC.

A entrada é franca.

Sobre o filme 

Nenhuma família é verdadeiramente normal, mas a família Hoover extrapola. O pai desenvolveu um método de auto-ajuda que é um fracasso, o filho mais velho fez voto de silêncio, o cunhado é um professor suicida e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. Nada funciona para o clã, até que a filha caçula, a desajeitada Olive (Abigail Breslin), é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas pré-adolescentes. Durante três dias eles deixam todas as suas diferenças de lado e se unem para atravessar o país numa kombi amarela enferrujada.

Produção: Estados Unidos.

Curiosidades

Mesmo tendo demorado 5 anos para ser produzido devido a diversos problemas financeiros, o filme foi indicado ao Oscar em 4 categorias, vencendo em: Melhor Ator Coadjuvante, com Alan Arkin; e Melhor Roteiro Original. O filme é uma comédia que se destaca pelo humor negro, ou seja, faz humor baseando-se em temas que costumam ser abordados de forma séria e respeitosa. Pequena Miss Sunshine entra em temas interessantes, como pobreza, auto-ajuda, suicídio, drogas, beleza e homossexualismo.

Exibição seguida de Debate do filme “Tomboy”

27/06/2013 14:24

 

O Projeto Cinema Mundo exibe na quinta-feira, 27 de junho, Tomboy (Tomboy, 2011) , filme da jovem diretora e roteirista francesa Céline Sciamma.  A sessão acontecerá às 18h30, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC. A debatedor desta ocasião será Cristiano Mello de Oliveira, doutorando em Literatura pela UFSC. Cristiano é colunista cultural em um jornal local e escritor de ensaios e críticas literárias. Atualmente desenvolve pesquisa nos temas de: Crônicas de viagens, Mário de Andrade, Lima Barreto, Literatura e História, e Romance contemporâneo.

A entrada é franca.

Sobre o Filme

Laure (Zoé Héran) é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula, Jeanne (Malonn Lévana). A família se mudou há pouco tempo e, com isso, não conhece os vizinhos. Um dia Laure resolve ir na rua e conhece Lisa (Jeanne Disson), que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.

Produção: França

Curiosidades

A coordenação do Cinema Mundo escolheu esse filme, justamente por ele ser muito parecido com “Minha vida em cor-de-rosa”, na temática que aborda: a transsexualidade. Só que nesse caso, é ao contrário, uma menina que se vê como menino.   Percerbe-se a clareza da diretora em retratar os desafios que alguns adolescentes tem para encontrar a sua identidade sexual, e principalmente serem aceitos e aceitarem-se. Finalmente é importante destacar os belíssimos roteiro, trilha sonora, e a atuação brilhante de Zóe Héran.

Exibição seguida de Debate do filme “Minha vida em cor-de-rosa”

21/06/2013 18:22

O Projeto Cinema Mundo exibe na quinta-feira, 27 de junho, Minha vida em cor-de-rosa (Ma vie en rose, 1997), filme do do diretor belga Alain Berliner. A sessão especial acontecerá às 12h30, no Auditório Elke Hering, Biblioteca Universitária da UFSC.  Nesta sessão teremos os comentários de Felipe Fernandes,  pós-doutor em Estudos de Gênero (PPGICH/UFSC) e Anthropologie Sociale (EHESS/Toulouse). Felipe atua como pesquisador associado no Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades, (NIGS);  interessando-se pelos termas de políticas públicas de gênero e sexualidades, e práticas de associativismo em movimentos LGBTTT e feministas.

A entrada é franca.

Sobre o filme

Minha vida em cor-de-rosa retrata o drama comovente de um menino que, desde muito cedo, apresenta fortes tendências homossexuais. O protagonista, Ludovic Fabre, cresce acreditando ser uma garota em um corpo masculino e pensa que um dia se tornará uma menina de verdade. Suas idéias e atitudes incomuns vão contra os valores e costumes de sua sociedade, fazendo com que ele e toda sua família sofram uma grande repressão.

Produção: França, Bélgica e Inglaterra.

Curiosidades

O filme aborda a temática da transsexualidade de uma forma absolutamente igualitária e respeitosa, e por isso, é bastante usados em aulas de cursos superiores que ocupam-se dessas questões. Na fotografia, as cores vivas mostram-se onipresentes, muitas vezes intercalando tons de vermelho e rosa, para dar um ar mais feminino ao filme. Minha vida em cor-de-rosa foi indicado ao BAFTA, Satellite Awards e vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.

Exibição seguida de Debate do filme “Sentidos do amor ”

14/06/2013 08:00

 

O Projeto Cinema Mundo exibe na quinta-feira, 20 de Julho, Sentidos do amor (Perfect sense, David Mackenzie, 2011),  um filme do diretor e roteirista britânico David Mackenzie.  A sessão acontecerá às 18h30, no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC. Fernanda Muller, a debatedora desta ocasião, é  doutora em Literatura pela UFSC, e atualmente, é professora de Língua Portuguesa no Colégio de Aplicação da referida instituição.

A entrada é franca.

Sobre o Filme

Susan (Eva Green) é uma estudiosa epidemiologista em crise com o amor. Ao conhecer o sedutor Michael (Ewan McGregor), um talentoso chefe de cozinha, tenta resistir, mas logo acaba rendendo-se. No entanto, enquanto a paixão do casal aumenta, uma misteriosa pandemia se espalha pelo mundo.

 Curiosidades

Apesar de tratar sobre o tema, o filme não trata somente sobre o fim do mundo, o enredo se torna muito mais interessante, justamente por haver um romance  se desenrolando em paralelo.

07/06/2013 23:46

 

O Projeto Cinema Mundo exibe na quinta-feira, 13 de junho, Catfish (Catfish, 2010), documentário feito por Henry Joost e Ariel Schulman.  A sessão especial acontecerá às 12h30, no Auditório Elke Hering, Biblioteca Universitária da UFSC.  O debatedor desta ocasião será Daniel Medeiros, crítico de cinema que, desde 2009, atua em sites como Pipoca Moderna e Confraria de Cinema. Daniel também é editor do site Cine Cult Floripa e do blog 7marte.

A entrada é franca.

Sobre o filme

Documentário que conta a história de Nev, um fotógrafo de Nova York de 24 anos que acaba conhecendo a artista Megan pelo Facebook e inicia um romance online. Ao ouvirem revelações surpreendentes sobre a moça, Nev e seus amigos embarcam em uma viagem em busca da verdade.

Produção: Estados Unidos.

Curiosidades

Logo após seu lançamento, o filme não causou nenhuma repercussão na mídia especializada. No entanto, após sua exibição no Festival de Sundance, o filme se tornou um sucesso, sendo considerado o grande sucesso do cinema alternativo ao tratar sobre o problema das relações via Facebook. O filme não é o que parece ser, por isso o melhor é assisti-lo sem muita informação. Os 40 minutos finais serão uma montanha-russa emocional.