Sobre o Projeto

Natureza do projeto

O Projeto Cinema Mundo, de caráter cultural e científico, tem como objetivo produzir debates horizontais na área do cinema, das artes e da representação no espaço da biblioteca universitária da UFSC. As ações do projeto, voltadas para a comunidade interna e externa, incluem tanto exibições comentadas de filmes, realizadas com o intuito de  estimular a prática cineclubista no campus universitário, quanto produção de livros de crítica cinematográfica, distribuídos gratuitamente em formato e-book, ferramentas fundamentais para a difusão de capital hermenêutico e sensível acerca do cinema e das outras artes. O projeto de extensão é uma parceria entre o Curso de Cinema e a Biblioteca Universitária Central da UFSC.

Objetivos do projeto
a) Desenvolver a formação crítica e artística dos espectadores/debatedores;
b) Ampliar o horizonte de referências audiovisuais do público por meio de curadorias de temáticas diversificadas e fora do mainstream;
b) Ampliar as atividades da Biblioteca Universitária a fim de torná-la também um espaço de circulação e produção de bens culturais;
c) Promover a integração e a socialização de saberes entre universidade e comunidade;
d) Estimular a prática cineclubista;
e) Manter uma publicação especializada em crítica cinematográfica, a coleção Cadernos de Crítica, para difusão do conhecimento produzido nos debates
(disponível em: http://cinemamundo.cce.ufsc.br/publicacoes/)

Breve histórico curatorial

Em sua primeira edição, ocorrida em 2012, foram exibidos filmes adaptados ou inspirados em obras literárias, trazendo à discussão leituras e análises interdisciplinares realizadas por debatedoras/es convidada/os.

Em 2013 a programação foi pensada em parceria com o Instituto de Estudos de Gêneros (IEG) e teve por objetivo viabilizar discussões acerca do cinema de gêneros e dos estudos de gênero nos cinemas. Neste sentido, para a edição “Gêneros e transgêneros” foram exibidos filmes que retrataram questões de gênero, raça-etnia, deficiência, questões geracionais, sexualidade, representações, identidades, dentre outros temas.

Em 2014, o Projeto Cinema Mundo, contou com a curadoria e mediação dos professores do Curso de Cinema Fernanda Friedrich e Marcio Markendorf. A cada mês foi contemplada uma temática, diretor ou gênero específico, tendo início no mês de agosto, o tema “Agosto Musical”. Foi a partir de então que as sessões passaram a ser quinzenais, e os debates gravados em áudio e disponibilizados no repositório do projeto.

Em 2015  a temática escolhida foi “Heroínas“, com a exibição de filmes protagonizados por mulheres, instigando o debate em torno das mais diversas questões que permeiam o universo feminino.

No primeiro semestre de 2016, o projeto abordou os filmes de culto (ou cult movies), classificação atribuída àquelas produções que acabam por atrair uma legião de fãs e organizar em torno de si uma espécie simbólica de liturgia. Nesse ano, o projeto lançou o seu primeiro e-book da coleção Cadernos de Crítica, intitulado “Mulheres No/Do Audiovisual“. A coleção foi pensada enquanto coletânea de ensaios, escritos pelos comentaristas de cada sessão temática. Para o segundo semestre de 2016, o gênero do horror contemporâneo, em todas suas vertentes (política, social, sexual, entre outras), foi abordado como temática das sessões.

O início de 2017 continuou com a temática “Expressões do horror“, exibindo e discutindo obras de vários países que utilizam desta estética para narrar suas histórias fílmicas. O segundo semestre de 2017 foi emoldurado pela temática “Cinema brasileiro contemporâneo“, contemplando últimas produções nacionais dentro do cinema. Dois volumes da coleção Cadernos de Crítica foram lançados neste ano: “Cinema de culto” e “Expressões do horror: escritos sobre cinema de horror contemporâneo“.

Em 2018, o projeto realizou sua curadoria “Distopias“, abordando filmes com narrativas distópicas.

2019 iniciou “Universos da animação“, exibindo produções que utilizam o estilo da animação como proposta narrativa. O projeto também escreveu um capítulo sobre sua história até o momento, no livro “A construção de saberes: protagonismo compartilhado em serviços e inovações na Biblioteca Universitária da UFSC“. Para o segundo semestre, o ciclo “Violências várias” discutiu as diversas formas de violência (cultural, sexual, de gênero, religiosa, entre outras) presentes no cotidiano social.

2020 trouxe a pandemia e a suspensão das aulas presenciais, o que fez com que o projeto tivesse que se reinventar em suas atividades extensionistas. Assim, em maio criou o seu perfil no Instagram, onde passou a fazer postagens diárias sobre filmes relacionados a três temáticas que foram abordadas ao longo do ano: “Cine Inquietante”, “Cinema de Estrada” e “Biográficos”. Além disso, foram realizadas sete lives pelo novo perfil com debatedore(a)s convidado(a)s e lançados mais dois volumes da coleção Cadernos de Crítica: “Cinema e Distopia” e “Mundos da Animação“.

O ano de 2021 deu continuidade às ações remotas, com postagens no Instagram e a realização de mais doze lives, relacionadas aos temas “Envelhecimento” (que contou também com uma exibição on-line do curta As Rendas de Dinho), “Cinema Gótico” e “Cinema LGBTQIA+”.

As sessões presenciais comentadas, que ocorriam quinzenalmente às quintas-feiras no auditório Elke Hering da Biblioteca Central da UFSC, continuam ainda suspensas.