Projeto Cinema Mundo
  • Projeto Cinema Mundo realiza exibição comentada do filme “Branco sai, preto fica”

    Publicado em 16/10/2017 às 15:16

    Na próxima quinta feira, dia 19 de outubro, o Projeto Cinema Mundo/UFSC dará continuidade à sua mostra de filmes de Cinema Brasileiro Contemporâneo apresentando o filme “Branco sai, preto fica” (2014), de Adirley Queirós.

    A sessão, de entrada franca, acontecerá às 18h30 no Auditório Elke Hering, da Biblioteca Universitária da UFSC e contará com os comentários de Flávia Guidotti.

    Sinopse:

    Tiros em um baile de black music em Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

    Sobre a comentarista:

     

    Flávia Garcia Guidotti

    Possui graduação em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pelotas (2002), mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2007) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (2013). É professora adjunta no Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo.


  • Luto

    Publicado em 03/10/2017 às 11:59

    Em sinal de luto pela morte do reitor da universidade, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, a sessão de “Branco sai, preto fica” programada para dia 05/10 está cancelada.

    Luto por três dias: unidades acadêmicas suspendem atividades acadêmicas e administrativas


  • Projeto Cinema Mundo realiza exibição comentada do filme “Branco sai, preto fica”

    Publicado em 29/09/2017 às 17:13

     

    Na próxima quinta feira, dia 05 de outubro, o Projeto Cinema Mundo/UFSC, em parceria com a Semana Acadêmica de Cinema, dará continuidade à sua mostra de filmes de Cinema Brasileiro Contemporâneo apresentando o filme “Branco sai, preto fica” (2014), de Adirley Queirós.

    A sessão, de entrada franca, acontece às 18h30 no Auditório Elke Hering, da Biblioteca Universitária da UFSC e contará com os comentários de Matheus Faisting e Flávia Guidotti.

    A sessão também será comemorativa do aniversário de 5 anos do projeto.

    Sinopse:

    Tiros em um baile de black music em Brasília ferem dois homens, que ficam marcados para sempre. Um terceiro vem do futuro para investigar o acontecido e provar que a culpa é da sociedade repressiva.

    Sobre os comentaristas:

    Matheus Gonçalves Faisting

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina e graduando do curso de Cinema e Audiovisual da UNISUL. Tem interesse em narrativas que abordem diversidade, sexualidade e performatividades transgressoras. Dirigiu o documentário “Depois do Fervo”, filme que investiga o contraste entre a imagem de cidade “gay-friendly” e a realidade de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais em Florianópolis. Ganhador na categoria “Melhor Crônica” com o texto “Eu como, tu comes”, no Plus Festival 2016.

    Flávia Garcia Guidotti

    Possui graduação em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pelotas (2002), mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2007) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (2013). É professora adjunta no Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo.


  • Projeto Cinema Mundo faz exibição comentada de “Doméstica”

    Publicado em 13/09/2017 às 20:59

     

    Na próxima semana, dia 21 de setembro (quinta-feira), o Projeto Cinema Mundo/UFSC dará continuidade a sua mostra de filmes de Cinema Brasileiro Contemporâneo apresentando o documentário “Doméstica” (2012), de Gabriel Mascaro.

    A sessão, de entrada franca, acontece às 18h30 no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC e conta com os comentários de Karine Joulie e Diogo Oliveira.

    Sinopse:

    O documentário de Gabriel Mascaro investiga o trabalho das domésticas e suas relações. Na produção, sete adolescentes assumiram a missão de registrar, por uma semana, facetas de sua empregada doméstica e, em seguida, entregar o material bruto para o diretor organizar um filme com as imagens captadas. Entre o choque de intimidade, as relações de poder e a performance do cotidiano, o filme lança um olhar contemporâneo sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar, transformando-se em um potente ensaio sobre afeto e trabalho.

    Sobre xs comentaristas:

    Karine Joulie é bacharel em Cinema e mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação, ambas formações pela UFSC. Pesquisa e trabalha com as possíveis interlocuções entre essas duas áreas. É produtora cultural com experiência na realização de projetos para a infância. Atuou também como diretora, assistente de direção e produtora em diversos curtas-metragens.

    Diogo Oliveira é guarujaense por nascimento, mas mora em Florianópolis há quase uma década. É formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e atualmente faz mestrado em Relações Internacionais pela mesma instituição. Dedica seus estudos e pesquisas ao tema referente às conformações da economia brasileira e da América Latina. Tem desenvolvido pesquisa sobre o Governo Lula (2003-2010) e as relações de forças sociais que deram sustentação ao pacto de poder de seus dois mandatos, com especial ênfase para a participação do agronegócio.


  • Projeto Cinema Mundo realiza exibição comentada do filme “Viajo porque preciso, volto porque te amo”

    Publicado em 16/08/2017 às 23:52

     

    Na próxima semana, dia 24 de agosto (quinta-feira), o Projeto Cinema Mundo/UFSC dará continuidade a sua mostra de filmes com a temática Cinema Brasileiro Contemporâneo apresentando “Viajo porque preciso, volto porque te amo”, de Karim Aïnouz e Marcelo Gomes.

    A sessão, de entrada franca, acontece às 18h30 no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC e conta com os comentários de Daisi Vogel e Pedro de Souza.

    Sinopse:

    José Renato (Irandhir Santos) é um geólogo de 35 anos que foi enviado para o sertão nordestino para avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem ocorre ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa, desde o vazio à sensação de saudade, até o isolamento, o que torna a viagem cada vez mais difícil.

    Sobre os comentaristas:

    Daisi Vogel: É jornalista com doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2002) e pós-doutorado em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (2010) e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). Professora do Departamento de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. Sua pesquisa está voltada à estética do jornalismo, às relações jornalismo e literatura, à crítica cultural pelo jornalismo e à revista ilustrada. É líder do grupo de pesquisa Jornalismo, Cultura e Sociedade.

    Pedro de Souza: Possui graduação pela Universidade Metodista de São Paulo (1979), mestrado em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1987) e doutorado em Lingüística pela Universidade Estadual de Campinas (1993). Em 2007 realizou pós-doutorado na École Normale Supéiieur, Lyon, com pesquisa sobre preformance vocal nos ditos e escritos de Michel Foucault. Tem em andamento o projeto sobre voz e subjetivação na palavra cantada. Atualmente é professor da UFSC. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, Análise de Discurso atuando principalmente nos seguintes temas: discurso, enunciação, subjetividade, seguindo a perspectiva de Michel Foucault. Nessa mesma linha temática, orienta no curso de pós-graduação em literaturas.